RELEASES EMPRESARIAIS

SÁBADO, 3 DE NOVEMBRO DE 2018 - Horário 15:03
nbe
ECO/ PRNewswire - CARI Corp processa United Virtualities, sediada em Nova York, no tribunal do Distrito Sul de Nova York

NOVA YORK, 3 de novembro de 2018 /PRNewswire/ -- A CARI Corp está processando a United Virtualities (www.unitedvirtualities.com), provedora de tecnologia sediada em Nova York, que presta serviços a empresas listadas na Fortune 100. A autora da ação, CARI Corp, et al., cujo nome fantasia é RT Kraken, divisão da CARI Corp, alega descumprimento contratual, inadimplência, interferência ilícita, desconsideração da personalidade jurídica como uma empresa fantasma e faz diversas outras acusações. De acordo com a PacerMonitor, o processo número 1:18-cv-07034 foi distribuído ao juiz George B. Daniels no tribunal do Distrito Sul de Nova York.



Sobre a United Virtualities: A United Virtualities é alegadamente uma empresa fantasma, criada por Oren Barzilay e pelos irmãos Daniel Lopatin e Lucas Lopatin. Acredita-se que Barzilay, Daniel Lopatin e Lucas Lopatin fazem negócios com grandes empresas como Hewlett Packard, L'Oreal Paris, PepsiCo, Google, Global Clinical Conference e inúmeras outras, para realização de trabalhos de tecnologia, usando empresas fantasmas. Alega-se que os indivíduos nomeados na petição inicial enviam os projetos a subcontratados na América Latina, caracterizando-os como empregados da Virtualities.

Sobre a autora da ação: A empresa (United Virtualities), de acordo com a petição protocolada no tribunal federal de Nova York, é uma empresa fantasma. A petição alega que a empresa declara que tem sede em Nova York. De acordo com a petição, quando a autora de ação descobriu que os irmãos Lopatin estavam aliciando seus empregados e se apropriando de suas informações patenteadas, a autora tentou contatar os Irmãos Lopatin para resolver o problema. A petição declara que os irmãos Lopatin deixaram de pagar a autora por contratos de serviços em contas como a da L'Oreal, como um meio para alavancar uma liberação da técnica de aliciamento.

Quando a autora da ação tentou contatar os irmãos Lopatin, nenhuma resposta foi obtida. A autora se dirigiu ao endereço constante no website da United Virtualities e no perfil da Bloomberg, só para descobrir que não havia empregados ou equipe presentes, conforme alegado na petição. A petição alega ainda que o endereço encontrado formulário 1099 da empresa, 34 E 67th Street, Nova York, também é um endereço falso. De acordo com a ação, os irmãos Lopatin, sob o nome de "United Virtualities", sequer têm registro para fazer negócios em Nova York, nem estão quites com tributos. A petição alega ainda que os irmãos Lopatin, através da United Virtualities, empregam subcontratados para cumprir seus contratos com essas grandes empresas. Esses subcontratados trabalham, tipicamente, na América do Sul, por remuneração extremamente reduzida. De acordo com a petição, a United Virtualities dá a esses subcontratados endereços de e-mail da unitedvirtualities.com, para enganar e induzir seus clientes a pensar que eles são empregados da United Virtualities.

Além disso, a petição alega que Barzilay e os irmãos Lopatin se valem de uma rede financeira duvidosa, que parece ter sido arquitetada em 2000 por Oren Barzilay, e agora é supervisionada à distância por Erik Laurenceau, supostamente vice-presidente de Vendas da United Virtualities. Oren ou alguém próximo a ele parece ainda estar envolvido, pagando as contas a partir de um escritório ocupado por uma entidade beneficente argentina em Nova York, denominada Fundação Internacional Raoul Wallenberg (IRWF ? International Raoul Wallenberg Foundation).

A autora pede pagamento de indenização pela United Virtualities e por qualquer empresa subsidiária, bem como por Daniel Lopatin e Lucas Lopatin, Oren Barzilay, Erik Laurenceau e Dan Hymson.

FONTE RT Kraken


© 2014 Todos os direitos reservados a O Globo e Agência O Globo. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização.