RELEASES EMPRESARIAIS

QUINTA-FEIRA, 6 DE DEZEMBRO DE 2018 - Horário 17:59
nbe
ECO/ PRNewswire - A Argus lidera com o lançamento de indicadores de preços de combustíveis adequados às regras exigidas pela IMO 2020 para os Estados Unidos e Europa.

HOUSTON, 6 de dezembro de 2018 /PRNewswire/ -- A Argus, agência global de relatórios de preços de energia e commodities, lançou cinco novos indicadores de preço para combustíveis marítimos (bunker fuels) nos principais pontos de abastecimento de navios do mundo, incluindo Roterdã, Nova York e a costa do Golfo Americano.

Esses indicadores representam o preço de combustível que cumpre com a regulamentação da Organização Marítima Internacional (IMO, na sigla em inglês), que reduzirá o teor de enxofre permitido em bunker fuels de 3,5% para 0,5% a partir de 1º de janeiro de 2020. A Argus lançou recentemente o primeiro indicador de preços do mercado de combustível marítimo com 0.5% de enxofre em Cingapura.

A Organização Marítima Internacional é um órgão das Nações Unidas (ONU) que fornece uma estrutura regulatória para o setor de transporte marítimo. Normas mais estritas relacionadas ao enxofre foram adotadas para diminuir a poluição atmosférica. Algumas regiões costeiras já possuem áreas de controle de emissão de enxofre onde o limite é 0.1%. A regra que impõe o limite global de 0,5%, no entanto, representa uma enorme mudança para o setor de transporte marítimo e seus fornecedores, que terão que buscar uma nova referência de preço para indexação de contratos e gestão de risco.

Por meio de seus serviços globais de derivados de petróleo, a Argus agora oferece indicadores de preços diários cobrindo:Óleo combustível com 0,5% de teor de enxofre no noroeste da Europa

Diesel marítimo com 0,5% de teor de enxofre no noroeste da Europa Óleo combustível com 0,5% de teor de enxofre no porto de Nova York Diesel marítimo com 0,5% de teor de enxofre no porto de Nova York Óleo combustível com 0,5% de teor de enxofre na costa do Golfo Americano Óleo combustível com 0,5% de teor de enxofre em CingapuraAdrian Binks, presidente e CEO da Argus Media, comentou: "A Argus está liderando o lançamento de indicadores de preços que trarão transparência para que este grande e emergente mercado avance na preparação para se adequar às regras exigidas pela IMO 2020 em relação aos combustíveis".

Segunda ele, "para estar em conformidade, o mercado já está buscando novos benchmarks e ferramentas de indexação. Com décadas de experiência nesses mercados, a Argus está muito bem posicionada para fornecer à indústria de combustíveis marítimos as soluções de preço mais robustas."

Sobre a Argus

A Argus é uma organização de mídia independente com quase 900 funcionários. Com sede em Londres, a empresa possui 21 escritórios nos principais centros de comércio e produção de commodities do mundo. A Argus produz indicadores de preço e análise dos mercados de energia e  commodities, além de oferecer serviços de consultoria personalizados e organizar conferências líderes do setor.

Empresas de 140 países ao redor do mundo usam dados da Argus para indexar seus produtos. Atualmente, os preços da Argus são referência em mercados financeiros de derivativos, e utilizados para análises e planejamento

Fundada em 1970, a Argus é uma empresa privada registrada no Reino Unido, de propriedade dos funcionários acionistas e da empresa global de investimentos General Atlantic (GA).

ARGUS, o logotipo ARGUS, ARGUS MEDIA, ARGUS DIRECT, ARGUS OPEN MARKETS, AOM, FMB, DEWITT, JIM JORDAN & ASSOCIATES, JJ&A, FUNDALYTICS, METAL-PAGES, METALPRICES.COM, títulos de publicações Argus e nomes de índices Argus são marcas comerciais da Argus Media Limited.

Contatos

Londres Juan Mejia+44 20 7780 4200juan.mejia@argusmedia.comHoustonMelanie Cruthirds+1 713 968 0000 melanie.cruthirds@argusmedia.com CingapuraPierre Lever+65 6496 9960 mediasg@argusmedia.com 

Logo - https://mma.prnewswire.com/media/534011/Argus_Media_Logo.jpg

FONTE Argus Media


© 2014 Todos os direitos reservados a O Globo e Agência O Globo. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização.