RELEASES EMPRESARIAIS

TERÇA-FEIRA, 12 DE NOVEMBRO DE 2019 - Horário 7:02
nbe
ECO/ PRNewswire - Um chamado de ação para o avanço da estabilidade cibernética: Comissão Global (GCSC) lança relatório final

Apresentado no Fórum da Paz de Paris, o relatório da GCSC apresenta uma estrutura de estabilidade cibernética e recomendações diante da conjuntura crítica no futuro do ciberespaço

PARIS, 12 de novembro de 2019 /PRNewswire/ -- A Comissão Global sobre a Estabilidade do Ciberespaço (GCSC) liberou hoje seu relatório final, Avanço da estabilidade cibernética, como parte de um painel realizado no Fórum da Paz de Paris em 2019. Stef Blok, Ministro das Relações Exteriores da Holanda, Jean-Yves Le Drian, Ministro da Europa e das Relações Exteriores da França, e David Koh, diretor executivo da Agência de Segurança Cibernética de Cingapura, lançaram o relatório e colocaram as descobertas no contexto de esforços globais em andamento para intensificar a segurança internacional no ciberespaço. Michael Chertoff e Latha Reddy, os copresidentes da Comissão, ao lado da ex-presidente Marina Kaljurand, apresentaram recomendações e comentaram a abordagem estratégica e o trabalho da GCSC.

O relatório representa a fase final do trabalho da Comissão, nos últimos três anos, oferecendo uma estrutura de estabilidade cibernética, princípios, normas de comportamento e recomendações para a comunidade internacional e um ecossistema mais amplo.

"No início deste ano, 28 estados membros da União Europeia apoiaram uma estrutura de sanções direcionadas a atividades cibernéticas maliciosas. Hoje, a GCSC consolida um conjunto de normas e princípios para o comportamento de atores estatais e não estatais. Trata-se de uma contribuição importante para um espaço digital no qual a ordem e a paz devem prevalecer", comentou Stef Blok, Ministro das Relações Exteriores da Holanda, cofundador da GCSC. "Uma vez que a estabilidade no ciberespaço está diretamente ligada à estabilidade no 'mundo real', essa estrutura de estabilidade cibernética é mais crítica do que nunca. O próximo passo nesse processo multilateral é colher evidências e responsabilizar aqueles que violam as regras. Juntos, devemos aumentar a responsabilidade e combinar todas as peças do quebra-cabeças, entre os governos, as empresas de tecnologia e segurança e a sociedade civil".

O trabalho da Comissão surgiu do desejo de encarar a crescente instabilidade social e política como resultado de ações maliciosas no ciberespaço. A situação se deteriorou ainda mais, conforme evidenciado pelo aumento do número e da sofisticação dos ataques cibernéticos por atores estatais e não estatais, o que coloca cada vez mais em risco os benefícios consideráveis do ciberespaço. Nesse ambiente cada vez mais volátil, existe a aparente falta de entendimento e conscientização mútuos entre as comunidades que trabalham em questões relacionadas à segurança cibernética internacional. Com esse relatório, a GCSC busca contribuir com os esforços internacionais para enfrentar esses desafios.

"A estabilidade cibernética e a governança estão natural e intricadamente ligadas", acrescentou Michael Chertoff, copresidente da GCSC. "À medida que a era digital evolui tão rapidamente, os governos e as sociedades não têm o nível desejado de troca, sem falar nos processos de tomada de decisão necessários para garantir a estabilidade do ciberespaço. O esforço da GCSC complementa o trabalho de outras organizações e servirá para influenciar como os atores essenciais podem se envolver e colaborar para um ciberespaço estável".

Enfatizando a abordagem conjunta com várias partes interessadas, a estrutura reflete medidas tecnológicas, de produto e operacionais, bem como o foco nas mudanças comportamentais necessárias entre todas as partes interessadas.

"A publicação deste relatório final não é o fim, mas o começo de um novo e profundo esforço para implementar os princípios, as normas e recomendações sugeridos", afirmou Latha Reddy, copresidente da GCSC. "O ônus é de todas as partes interessadas (governos, indústria, sociedade civil), para colaborar, adotar e implementar as práticas aceitas para ajudar a fortalecer a estabilidade cibernética. As apostas estão mais altas do que nunca, o que determina a resposta em espécie".

Após o lançamento, os membros da GCSC continuarão a defender suas respectivas comunidades e se engajar nelas. A contribuição e o feedback desses grupos refletiram as interações com os especialistas estaduais e não estatais e formarão a base da defesa do relatório futuramente.

Para obter uma visão geral, consulte a Folha de dados e, para obter uma cópia do relatório, veja Avanço da estabilidade cibernética.

Sobre a Comissão

Lançada na Conferência de Segurança de Munique de 2017, a missão da Comissão Global sobre a Estabilidade do Ciberespaço é desenvolver propostas de normas e políticas para intensificar a segurança e a estabilidade internacional e orientar o comportamento estatal e não estatal responsável no ciberespaço. A Comissão ajuda a promover a conscientização e o entendimento mútuos entre as várias comunidades do ciberespaço que trabalham em questões relacionadas à segurança cibernética internacional. Para obter mais informações, visite o site www.ebaotech.com.

 

FONTE The Global Commission on the Stability of Cyberspace (GCSC)


© 2014 Todos os direitos reservados a O Globo e Agência O Globo. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização.