RELEASES EMPRESARIAIS

QUINTA-FEIRA, 12 DE NOVEMBRO DE 2020 - Horário 19:36
nbe
ECO/ PRNewswire - Com forte alta da receita e crescimento de margem, Natura &Co supera performance do setor no 3º trimestre

SÃO PAULO, 12 de novembro de 2020 /PRNewswire/ -- Natura &Co (NYSE ? NTCO; B3 ? NTCO3) teve forte crescimento da receita no terceiro trimestre, superando de forma significativa o desempenho do mercado global de Cosméticos, Fragrâncias e Higiene Pessoal (CFT, na sigla em inglês), com aumento consistente da vendas pelos canais digitais em todas as marcas. A receita líquida consolidada no período foi de R$ 10,4 bilhões, alta de 31,7% em reais e de 11,6% em moeda constante.

O grupo também fortaleceu sua estrutura de capital com a bem-sucedida conclusão da oferta pública de US$ 1 bilhão (aproximadamente R$ 5,6 bilhões) em ações, finalizada em outubro. A transação irá permitir melhora do balanço patrimonial do grupo, acelerando sua desalavancagem, ao mesmo tempo em que irá favorecer investimentos em prioridades estratégicas para acelerar o crescimento dos negócios, como a integração da Avon, a digitalização e expansão geográfica do grupo, além de investimentos para alcançar as metas de sustentabilidade para 2030 estabelecidas no Compromisso com a Vida de Natura &Co.

Neste sentido, destaca-se a certificação da Aesop como Empresa B, se juntando a um movimento de empresas comprometidas com os mais altos padrões sociais, econômicos e ambientais, do qual já fazem parte Natura e The Body Shop.

O grupo Natura &Co também deu mais um passo decisivo em seu contínuo processo de digitalização, com o lançamento de sua plataforma proprietária de serviços financeiros, o &Co Pay. A plataforma vai contribuir para aumentar a produtividade de sua rede de consultoras e revendedoras ao lhes permitir acesso a serviços financeiros essenciais, contribuindo ainda para promover a inclusão financeira e social da rede. Com lançamento inicial para a América Latina, &Co Pay será ampliado para outras operações do grupo no mundo nos próximos três anos.

"Favorecidas pela continuidade do processo de digitalização, nossas marcas entregaram resultados importantes no terceiro trimestre, com forte crescimento em vendas e melhora da margem. Em um ambiente que permaneceu desafiador em todo o mundo como resultado da pandemia da Covid-19, superamos tanto o mercado global de beleza, quanto o setor no Brasil. Nosso desempenho no período atesta a força de nossos fundamentos, nosso incomparável alcance direto ao consumidor e a resiliência de nosso modelo omnichannel e multimarca", afirmou Roberto Marques, presidente executivo do Conselho de Natura &Co e principal executivo do grupo.

O crescimento consolidado da receita de Natura &Co foi impulsionado por um desempenho acima do esperado tanto da Natura quanto da Aesop, sólido avanço da The Body Shop e aumento do faturamento em reais da Avon. O Ebitda ajustado foi de R$ 1.547,3 milhões, com margem de 14,8%, um ganho de 330 pontos-base, em função de crescimento das vendas, melhora da margem bruta e disciplina de custos em todos os negócios.

Ainda que muitos mercados tenham reaberto ao longo do trimestre, o grupo continuou a mostrar aceleração de suas vendas via e-commerce e social selling, com alta de 115% das vendas por esses canais no terceiro trimestre, na comparação com o mesmo período do ano passado. Considerando as operações combinadas de Avon e Natura, as vendas por e-commerce avançaram mais de 80%, à medida que mais consultoras passaram a divulgar suas lojas on-line. Vendas digitais também cresceram 264% na Aesop, enquanto o canal de e-commerce da The Body Shop teve alta de 103%.

As vendas digitais das consultoras e revendedoras também continuam em expansão. Na Avon, em termos globais, as revendedoras que compartilharam o catálogo virtual mais do que dobraram, e o número de consumidores que acessou essa opção cresceu 70% em relação ao mesmo trimestre do ano passado. Na Natura, compartilhamento de conteúdo teve expansão de mais de 170% desde o primeiro trimestre deste ano, e o número de pedidos aumentou 45% em relação ao terceiro trimestre do ano passado, por meio das mais de 1 milhão de consultoras que têm sua loja on-line (alta de 75% em relação ao terceiro trimestre de 2019).

A receita líquida de Natura &Co América teve alta de 29,5% no período, em reais. A receita líquida da marca Natura aumentou fortes 41,2% em reais, impulsionada tanto pelo resultado no Brasil (+30,5%), que superou a performance do mercado de beleza na região, quanto na América Latina Hispânica (+65,7%). Na Avon, a receita líquida aumentou 19,3% em reais (9,9% em moeda constante). Excluindo os efeitos do incidente cibernético que impactou a receita do terceiro trimestre em R$ 390 milhões, as vendas na Avon teriam aumentado 3,3% no período, incluindo alta de 6,2% no Brasil, o primeiro trimestre de crescimento registrado no país desde o quarto trimestre de 2018, graças à combinação entre aumento do número de revendedoras e crescimento da atividade. O Ebitda ajustado de Natura &Co América Latina foi de R$ 1.002,8 milhões, alta de 96,1%, enquanto a margem Ebitda ajustada foi de 16,5%, avanço de 560 pontos-base. 

Na Avon International, que considera as operações da Avon em 50 mercados na Europa, Ásia, África e Oriente Médio, a receita líquida aumentou 22,5% no terceiro trimestre, em reais, com a maioria dos mercados mostrando sinais de recuperação. Excluindo o efeito positivo do incidente cibernético, de R$ 60 milhões no período, a alta do faturamento teria sido de 19,5%. A nova campanha da marca, "Watch Me Now", estreou em setembro em mais de 30 países. O Ebitda ajustado foi de R$ 183 milhões, com margem de 7,4% (queda de 200 pontos-base).

Na The Body Shop, o crescimento da receita líquida alcançou 51,9% em reais, impulsionada por forte desempenho das vendas on-line e do canal de venda direta. Os consumidores continuaram a migrar suas compras para o e-commerce e o segmento At-Home (de venda direta), com expansão de 103% e 333%, respectivamente, o que compensou o ritmo mais lento das vendas no varejo. No final do trimestre, 97% das lojas estavam reabertas. O Ebitda ajustado no terceiro trimestre foi de R$ 308,3 milhões, com margem ajustada de 22,3% (alta de 360 pontos-base).

A Aesop manteve trajetória positiva, com crescimento de dois dígitos da receita e da rentabilidade. O faturamento líquido aumentou 67,2% no terceiro trimestre, já que a alta de 264% das vendas nos canais digitais contribuiu para compensar o efeito do fechamento parcial das lojas no varejo em mercados como os Estados Unidos e a Austrália, por causa da Covid-19. Até o fim do período, 95% da operação varejista da Aesop já estava reaberta. O Ebitda no terceiro trimestre aumentou 121,6%, para R$ 154,4 milhões, com alta de 770 pontos-base da margem, para 31,3%. O comprometimento da Aesop com práticas sustentáveis também foi reconhecido com a certificação da empresa como uma B Corp, em 9 de novembro.

About Natura &Co

Natura &Co é um grupo global de cosméticos multicanal e multimarcas que inclui Avon, Natura, The Body Shop e Aesop. O Grupo registrou receita líquida de R$ 14,4 bilhões em 2019 e R$ 32,9 bilhões em base proforma, incluindo a Avon. As quatro empresas que compõem o grupo estão empenhadas em gerar impactos econômicos, sociais e ambientais positivos. Há 130 anos, a Avon é sinônimo de mulher: oferecendo produtos de beleza inovadores e de qualidade que são vendidos principalmente para mulheres, pelas mulheres. Fundada em 1969, a Natura é uma multinacional brasileira do segmento de cosméticos e higiene pessoal, líder em vendas diretas. Fundada em 1976 em Brighton, na Inglaterra, por Anita Roddick, The Body Shop é uma marca global de beleza que busca fazer uma diferença positiva no mundo. A marca de beleza australiana Aesop foi fundada em 1987 com o objetivo de criar uma linha de produtos superlativos para a pele, o cabelo e o corpo.

Press Contact Brunswick Group NATURA&CO@brunswickgroup.com Natasha Bonomi: +55 (11) 993 478 905 Gabriela Kivitz: +55 (11) 976 052 853

FONTE Natura &Co


© 2014 Todos os direitos reservados a O Globo e Agência O Globo. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização.