RELEASES EMPRESARIAIS

SEXTA-FEIRA, 26 DE MARÇO DE 2021 - Horário 17:22
nbe
ECO/ PRNewswire - CFC dá dicas para autônomos e MEIs no uso do novo auxílio emergencial

BRASÍLIA, Brasil, 26 de março de 2021 /PRNewswire/ -- Foi assinada, neste mês de março, a Medida Provisória que institui o auxílio emergencial para 2021. A MP estabelece, entre outros requisitos, que trabalhadores autônomos e Microempreendedores Individuais (MEI) receberão o novo auxílio a partir de abril, em quatro parcelas.

Para muitos desses pequenos empresários, a nova medida trará certo alívio para tentar equilibrar as contas no fim do mês, apesar do valor ser menor que o do auxílio anterior, avalia o contador Elias Caddah, coordenador do Programa de Voluntariado da Classe Contábil (PVCC), criado pelo Conselho Federal de Contabilidade (CFC).

"O auxílio emergencial é uma medida criada pelo governo para combater a crise econômica causada pela pandemia do Covid 19. Apesar do auxílio deste ser bem menor que o anterior, o que indicamos, primeiramente, é que as pessoas tenham bastante consciência da sua situação financeira, principalmente no que diz respeito aos gastos que são fixos, para colocá-los em dia", orienta Elias.

Para o contador, também é ideal fazer um planejamento e ter um objetivo do que vai ser pago com esse dinheiro. "Quando se tem um planejamento orçamentário é possível saber o quanto será necessário no fim do mês para pagar as despesas essenciais", reforça.

Elias relembra que o objetivo deste benefício para os trabalhadores informais e microempreendedores é dar proteção financeira durante o período de enfrentamento à crise do coronavírus, em que muitos brasileiros ficaram sem renda devido ao isolamento.

Dicas para fazer um planejamento orçamentário

Identificar todos os gastos. Fazer um planejamento das contas. Ter um objetivo, ver de que maneira poderá fazer um bom uso do auxílio. Verificar os gastos essenciais e indispensáveis. Renegociar possíveis débitos com credores. Deixar de fazer gastos que não são essenciais neste momento. Analisar o que pode ser cortado. Fazer um controle efetivo para não adquirir mais dívidas neste momento. Se possível, ainda fazer uma reserva emergencial, para ter algo guardado em caso de necessidades.Sobre o Conselho Federal de Contabilidade (CFC)

O Conselho Federal de Contabilidade é uma Autarquia Especial Corporativa dotada de personalidade jurídica de direito público e tem, dentre outras finalidades, a responsabilidade de orientar, normatizar e fiscalizar o exercício da profissão contábil, por intermédio dos Conselhos Regionais de Contabilidade, cada um em sua base jurisdicional, nos Estados e no Distrito Federal; decidir, em última instância, os recursos de penalidade imposta pelos Conselhos Regionais, além de regular acerca dos princípios contábeis, do cadastro de qualificação técnica e dos programas de educação continuada, bem como editar Normas Brasileiras de Contabilidade de natureza técnica e profissional.

FONTE Conselho Federal de Contabilidade (CFC)


© 2014 Todos os direitos reservados a O Globo e Agência O Globo. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem prévia autorização.